Tecnologia

TBC será a responsável pela operação técnica da entrevista de Ronaldo Caiado ao Roda Viva

Equipe estará a postos no Palácio das Esmeraldas para garantir a transmissão ao vivo do governador para o programa da Rede Cultura

Publicados

em


Uma equipe de profissionais da TV Brasil Central estará a postos na noite desta segunda-feira, 6, no Palácio das Esmeraldas, de onde o governador Ronaldo Caiado concederá entrevista ao vivo para o programa Roda Viva da Rede Cultura, a partir das 22 horas.

Segundo o coordenador de Jornalismo da TBC, Dyego Spíndola, a emissora da Agência Brasil Central ficou responsável por toda a operação técnica de Goiânia. Já a TV Cultura disponibilizou espaço no satélite para que Caiado possa responder, ao vivo, os questionamentos oriundos de São Paulo da jornalista Vera Magalhães, que comanda o programa, e dos convidados.

Vão compor a bancada desta edição do Roda Viva, Conrado Corsalette, editor-chefe do Nexo Jornal; Maria Cristina Fernandes, colunista do Valor Econômico; Madeleine Lacsko, repórter do jornal Gazeta do Povo; Graciliano Rocha, editor do Buzzfeed News; e Alexandra Martins; redatora do BR Político.

Operação técnica

Dyego Spíndola informa que a TBC montou uma unidade móvel no Palácio das Esmeraldas, de onde vão atuar um diretor de TV, um operador de áudio, um operador de VT, dois cameramen, um técnico em externa, mais o diretor de Telerradiodifusão, Euler Barbosa, e o próprio coordenador de Jornalismo. ?Tudo isso para colocar esta edição do Roda Viva a partir daqui, de Goiânia, no que diz respeito à participação do entrevistado?, conta.

Há quase 34 anos no ar, conforme a TV Cultura, o Roda Viva é o mais antigo programa de entrevista da televisão brasileira, já que está no ar continuamente desde 29 de setembro de 1986. Entre os prêmios obtidos, o mais recente é o de Melhor Programa Jornalístico de 2019, Troféu APCA, da Associação Paulista dos Críticos de Arte.

Pandemia

Ronaldo Caiado é médico de formação, formado pela Escola de Medicina e Cirurgia, hoje parte da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, e com especialização em ortopedia.

Goiás foi um dos primeiros Estados a adotar medidas de isolamento social para enfrentar a disseminação da Covid-19 entre a população do Estado. Conforme Caiado, o fechamento, inicialmente por 15 dias, de escolas e do comércio goianos, foi adotado com base em critérios científicos, após consultas a diversos especialistas e à própria Organização Mundial de Saúde (OMS).

Na última sexta-feira, 3, foi publicado novo decreto governamental prorrogando até o próximo dia 19 de abril as medidas de isolamento social em Goiás, porém com a liberação de mais alguns serviços, como comércio de autopeças, feiras livres de hortifrutigranjeiros, escritórios de profissionais liberais (vedado o atendimento ao público) e cartórios extrajudiciais.

O programa Roda Viva de hoje à noite também poderá ser acompanhado, a partir das 22 horas, pelas redes sociais da TV Cultura e também pelas redes da TV Brasil Central. Em Goiás, a TV Brasil Central, emissora da Agência Brasil Central (ABC), é a filiada da TV Cultura e vai retransmitir o programa. As rádios Brasil Central e RBC FM também entrarão em cadeia, transmitindo o áudio do programa.

ABC Digital

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Tecnologia

Número de acessos móveis no Brasil cresce e fecha 2020 com 234 milhões

Publicados

em

Por

Número é maior que população porque muitos têm mais de um chip

O Brasil fechou o ano de 2020 com 234 milhões de acessos móveis, segundo relatório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O total representou um aumento de 7,39 milhões em relação a 2019, o equivalente a 3,26%. Acesso móvel é o nome dado para os chips de celular, que podem ser usados para serviços de voz ou de conexão à Internet.

Com isso, houve uma inversão da tendência de queda que vinha marcando esse tipo de serviço desde 2015, quando o Brasil bateu os 284,17 milhões de acessos. O número, acima da população nacional, ocorre pelo fato de parte das pessoas ter mais de um acesso, ou seja, mais de um chip ou uma conta de telefone celular.

Na avaliação da Anatel, esse acréscimo teve relação com a pandemia do novo coronavírus. “Com a transferência forçada de atividades para a modalidade online, em especial as aulas de crianças e de adolescentes, houve um aumento na compra de dispositivos para permitir a realização dessas atividades. O celular é o dispositivo mais barato de acesso à internet, e muitos desses aparelhos já são vendidos atrelados à contratação de um novo plano”, diz o relatório.

Densidade

Quando analisados os números de acessos por 100 habitantes, índice denominado “densidade” pelo relatório, as regiões mais atendidas são o Sudeste (105,71), Centro-Oeste (102,2) e Sul (96,9). As densidades são menores no Nordeste (86,58) e Norte (85,37).

Os estados com mais acessos por 100 habitantes são Distrito Federal (116,37), São Paulo (110,22), Rio de Janeiro (103,86), Minas Gerais (98,96) e Rio Grande do Sul (98,96). Já os com os menores índices são Maranhão (74,94), Alagoas (81,49), Pará (82,06), Paraíba (85,24) e Roraima (85,95).

Modalidade de cobrança

Pelo primeiro ano, os acessos pós-pagos superaram os pré-pagos, com pouco mais de 50%. Os pós-pagos são mais presentes na Vivo (57,14%) e os pré-pagos são mais frequentes na Oi (62,67%).

Operadoras

Atualmente, a operadora com mais acessos móveis é a Vivo (78,53 milhões). Em seguida vêm Claro (60,20 milhões), TIM (51,43 milhões) e Oi (36,65 milhões). No caso da OI, a parte de telefonia móvel da companhia está sendo negociada com as outras três operadoras. A Vivo lidera em 2.400 municípios, a Claro em 1.286, a TIM em 1.056 e a Oi em 777 cidades.

Número de acessos por prestadoras.
Número de acessos por prestadoras. – Anatel

Repercussão

Na avaliação da integrante do Conselho de Defesa dos Usuários de Serviços de Telecomunicações (CDUST) Marina Pita, os dados podem levar ao engano uma vez que o relatório não deixa claro que se trata de chips, e não de conexões móveis.

“Os dados são simplesmente de chips ativos habilitados à conexão. Se a pessoa proprietária do chip fez uso de pacote de dados móvel, isso é algo que a Anatel não sabe porque não há obrigações de as operadoras informarem neste sentido. A Anatel não está contabilizando planos ativos e sim chips. Se a pessoa usou o chip apenas para receber ligações, a Anatel desconhece”, avalia Pita.

Em nota à reportagem da Agência Brasil, a assessoria da Anatel confirmou se tratar de chip habilitado, não incluindo que tipo de atividade é realizada pelo usuário.

Edição: Aline Leal

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

MAIS LIDAS DA SEMANA