Economia

Atividades de turismo crescem 23% no primeiro trimestre de 2022 e puxam PIB goiano

Publicado

em

Percentual de 4,1% de incremento no Produto Interno Bruto goiano, superior ao registrado pelo PIB Nacional, evidencia a retomada da economia goiana, amparada nas ações fomentadas pelo Governo de Goiás

O Produto Interno Bruto (PIB) de Goiás apresentou taxa de crescimento de 4,1% no primeiro trimestre de 2022, na comparação ao mesmo período do ano passado. O resultado positivo foi puxado, prioritariamente, pelos avanços conquistados nos setores de Serviços e da Indústria. A recuperação da economia goiana ocorre em ritmo superior à do País. No mesmo período, o PIB brasileiro registrou crescimento de 1,7%.

Para o governador Ronaldo Caiado, a posição de destaque ocupada por Goiás é consequência dos ajustes na política fiscal: “Conseguimos superar situações delicadas. Goiás estava entre os quatro piores Estados do país do ponto de vista fiscal, com o colapso da máquina pública, mas nós avançamos e fomos os únicos a entrar no Regime de Recuperação Fiscal”, afirmou.

Serviços
O setor de Serviços goiano cresceu 5,7%, na comparação com o mesmo período do ano anterior, superando o crescimento nacional, que foi de 3,7%. A atividade turística, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços, se destacou e acumulou crescimento, neste primeiro trimestre de 2022, de 23,8% em Goiás. Apesar de ter sido um segmento bastante afetado pela pandemia do Covid-19, o índice positivo mostra uma recuperação consistente desde abril do ano passado, estando próximo a retomar patamares do período anterior ao da crise sanitária mundial.

Para o presidente da Agência Estadual de Turismo de Goiás (Goiás Turismo), Fabrício Amaral, a tendência é que o setor continue crescendo no Estado. “Os números da pesquisa nos deixam contentes, mas não são surpreende. Sabíamos que apostar na regionalização do turismo, no fortalecimento dos protocolos sanitários e no apoio aos empresários com linhas de crédito traria bons resultados. Os dados mostram os esforços do Governo de Goiás para a retomada pós-pandemia e, é claro, nosso Estado tem muita beleza e atrativos”.

O desempenho do setor de Serviços também foi alavancado pelas atividades de informação, científicas, técnicas, administrativas e serviços complementares, além do transporte. O destaque do setor é o segmento de serviços prestados às famílias que acumulou no ano crescimento de 9%, reflexo do processo de recuperação econômica, após o impacto negativo deste setor que foi o mais prejudicado pela pandemia.

Indústria
No primeiro trimestre de 2022, a indústria goiana cresceu 4,3%, na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. Enquanto isso, a indústria brasileira recuou 1,5%, no mesmo período. Os resultados positivos em Goiás vieram das atividades de serviços industriais de utilidade pública, da construção civil e da indústria extrativa.

O desempenho só não foi melhor devido aos resultados negativos da indústria da transformação, que possui peso significativo na economia, mas que tem enfrentado dificuldades na retomada do crescimento.

Agropecuária
Devido ao aumento de custos observado na lavoura e na pecuária, o primeiro semestre da Agropecuária em Goiás apresentou recuou de 0,8%, índice inferior ao recuo observado no âmbito nacional, que foi de 8%.

Embora a elevação dos custos de produção tenha impactado negativamente o resultado do Valor Adicionado da Agropecuária, algumas atividades, como a produção de grãos, que tem estimativa recorde de 28,1 milhões de toneladas para a safra atual, contribuíram para que o recuo não fosse mais significativo. Houve incremento da produção agrícola em importantes culturas para o Estado como a de soja (6,5%), milho safrinha (6,5%) e café arábica (11,4%).

O estudo do Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (IMB), órgão jurisdicionado à Secretaria-Geral da Governadoria (SGG), é baseado em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Foto: Secom / Secretaria-Geral da Governadoria – Governo de Goiás

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Parcelamento do IPVA cresce 94% após ampliação do número de parcelas

Publicados

em

Opção por parcelamento do IPVA atraiu mais proprietários de veículos em Goiás, em 2022

Quantidade de veículos que tiveram imposto parcelado saltou de 151 mil para 293 mil, de 2021 para 2022. Além da permissão para parcelar IPVA em 10 vezes, Calendário 2022 jogou pagamento à vista para segundo semestre

Os dados do primeiro semestre deste ano mostram que a alteração no Calendário 2022 do IPVA, que ampliou de 3 para 10 o número de parcelas, quase dobrou a procura pelo parcelamento do imposto. O número de veículos que tiveram o IPVA parcelado saltou de 151 mil no ano passado para 293 mil nesse ano, um crescimento de 94% na adesão ao maior prazo.

Em valores, esse crescimento foi de 115% comparando janeiro a junho de 2021 com o mesmo período de 2022. No primeiro semestre do ano passado, foram realizados cerca de R$ 100 milhões em parcelamento, já neste ano os parcelamentos de janeiro a junho subiram para R$ 215 milhões.

Os dados são da Gerência de IPVA da Secretaria da Economia e mostram que quase o dobro de proprietários de veículos aderiu ao prazo maior para quitar o IPVA. O pagamento em parcela única também foi alterado, passando para o segundo semestre a partir de setembro. E a forma de adesão abriu várias possibilidades para que o contribuinte possa escolher o que é melhor segundo a situação de cada um.

Em 2022 o calendário não foi fechado para nenhuma placa. O motorista pode pagar as parcelas a qualquer momento, pois o governo não cobra taxa por atraso. Ele só não pode pagar depois do vencimento da data final, de setembro a dezembro. No primeiro semestre do ano passado, o prazo para pagamento do imposto já teria sido realizado para os motoristas com placas 1, 2, 3 e 4.

O boleto para pagamento do IPVA é emitido no site do Detran (www.detran.go.gov.br) e o parcelamento é feito eletronicamente.

Desconto no IPVA
O governo estadual manteve o desconto de 5% a 10% no IPVA para os cidadãos que participam do Programa Nota Fiscal Goiana (NFG). Este ano, mais de 441 mil proprietários de veículos terão desconto no imposto.

Já a isenção do IPVA ocorre para veículos com mais de 15 anos, para pessoas com deficiência, para ônibus ou micro-ônibus de passageiro de turismo ou escolar e veículo novo no ano da sua aquisição, comprado em concessionária goiana.

Alíquotas
As alíquotas do IPVA variam. São de 1,25%, para ônibus, micro-ônibus, caminhão, veículos aéreos e aquáticos utilizados no transporte coletivo de passageiros e de carga. De 3%: motocicleta, ciclomotor, triciclo, motoneta e automóvel de passeio com potência até 100 cv (cavalos); 3,45% para veículos utilitários e 3,75% para veículo terrestre de passeio, veículo aéreo e aquático.

Foto: Cristiano Borges / Secretaria da Economia – Governo de Goiás

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

MAIS LIDAS DA SEMANA