Variedades

Cuidados nas férias podem prevenir casos de dengue

Limpeza no quintal, com retirada de entulhos e recipientes que acumulam água, é fundamental antes de pegar a estrada

Publicados

em


Foto: Sebastião Nogueira/Comunicação Setorial

A ausência de moradores em suas residências durante o período de férias pode comprometer os cuidados diários que evitam o acumulo de água parada, ambiente perfeito para as larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, Zika e chikungunya. O coordenador de Vigilância e Controle Ambiental de Vetores da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), Marcello Rosa, ressalta a importância de uma vistoria completa dos moradores em suas casas antes de pegar a estrada.

?No período de chuvas, a atenção deve ser redobrada com possíveis criadouros de larvas do mosquito. Observar a limpeza das calhas e grelhas e retirar todos as vasilhas, bebedouros de animais, garrafas ou qualquer outro recipiente que possa acumular água das chuvas é fundamental antes das viagens?, lembra.

Marcello Rosa pontua ainda que o clima de Goiás é potencialmente mais propício à proliferação do mosquito. ?A região sul, com clima mais frio; e a região norte, com clima mais quente, acabam dificultando a proliferação do mosquito. Goiás é geograficamente mais vulnerável devido ao próprio clima?, afirma.

Segundo ele, um litro de água parada em Goiás é capaz de produzir muito mais larvas do mosquito do que em qualquer outra região do País, e isso deveria ser um motivo a mais para os cuidados da população. ?Nós sempre vamos ter um risco ambiental maior do que de outros Estados. A faixa central do Brasil tem a temperatura ideal para o mosquito?, explica.

Casos notificados

A circulação do sorotipo 2 da dengue em todo o País desde 2018 continuou este ano, aumentando expressivamente os números de casos de dengue notificados por todo o País e, consequentemente, em Goiás. O Boletim Semanal de Dengue em Goiás, divulgado na quinta-feira, 5, mostra um aumento de 45,71% no número de casos notificados em relação ao mesmo período de 2018, com mais de 146 mil casos notificados.

Para o coordenador, a população precisa estar atenta aos cuidados diários, de forma espontânea, como ocorria há três anos atrás, devido à grande divulgação na mídia de casos de microcefalia associados ao Aedes. ?O medo da população com o Zika vírus deixou de repercutir na mídia, e isso acabou deixando a população menos preocupada com os entulhos e criadouros do mosquito?, alerta.

Marcello Rosa avalia também que o descuido da população e a circulação de um sorotipo mais crítico desencadeiam automaticamente no aumento de números de casos.

Outro ponto levantado pelo coordenador é a importância de a população abrir suas casas para a visita dos Agentes de Combate às Endemias, que realizam inspeção rigorosa nas residências, promovendo orientações para os moradores. ?O período de férias também têm essa particularidade de ter mais casas fechadas, dificultando o trabalho do agente, que é fundamental para identificar riscos e promover prevenção?, destaca.

 

Comunicação Setorial da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Variedades

Sejus faz campanha sobre riscos do uso de drogas

Cartilha com orientações e hábitos saudáveis durante a pandemia também será disponibilizada para população

Publicados

em

Por


Nesta Semana de Enfrentamento às Drogas, a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), em parceria com as Secretarias de Educação (SEE), Segurança Pública (SSP) e com o Conselho de Políticas sobre Drogas do Distrito Federal (Conen/DF) realizam um conjunto de atividades para conscientizar a população sobre a importância da prevenção contra o uso de substâncias tóxicas. Guias, campanhas nas redes sociais, orientações, cartilhas, estão entre as atividades.

?Estamos enfrentando um momento delicado com o isolamento social e que requer muita atenção e cuidados com a saúde, por isso que nós da Sejus, elaboramos uma cartilha com dicas e orientações sobre hábitos saudáveis durante a pandemia?, ressalta a secretária Marcela Passamani. A cartilha será lançada ainda nesta semana.

A partir desta segunda-feira (22), a população poderá conferir a campanha que será divulgada nas redes sociais das secretarias desta ação, com informações e alertas sobre os riscos do uso das drogas.

Saiba mais

Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PeNSE), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aumentou a incidência do consumo de álcool por adolescentes entre 13 e 15 anos de todo o País, passando de 50,3%, em 2012, para 55,5%, em 2015. Já a taxa dos que usaram drogas ilícitas saltou de 7,3% para 9% no mesmo período.

 

AGÊNCIA BRASÍLIA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

MAIS LIDAS DA SEMANA