Cultura

Cultura coreana é celebrada em evento no Museu da Imigração

O projeto ?Viva! ? Celebre e Vivencie? chega à sua nona edição prestando uma homenagem aos coreanos, último grupo de imigrantes acolhido na antiga Hospedaria do Brás

Publicado

em


Foto: Divulgação

O projeto ?Viva! ? Celebre e Vivencie? chega à sua nona edição prestando uma homenagem aos coreanos, último grupo de imigrantes acolhido na antiga Hospedaria do Brás, em 1978, pouco antes de encerrar suas atividades. Realizado pelo Museu da Imigração – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – o evento, marcado para o dia 28 de julho (domingo), irá aproximar o público dos costumes e tradições dessa cultura. A celebração, promovida em parceria com a Associação Cultural dos Coreanos do Brasil, acontecerá das 10h às 18h, com a bilheteria em funcionamento até as 17h. O ingresso é limitado, pode ser adquirido antecipadamente e custa R$10.
A programação do ?VIVA! Coreia?, realizada no jardim do complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, terá início com a apresentação de Taekwondo, do Brasil Taekwondo Demonstration Team, às 12h. Na sequência, acontecerá a abertura oficial da Festa, com a presença do cônsul-geral da Coreia do Sul em São Paulo, Hak Yoo Kim, e uma performance do Instituto Dança Tradicional Coreana, às 13h, incluindo a buchaechum, conhecida como a ?dança dos leques?, que, durante os movimentos, remete às imagens de borboletas, flor e onda do mar. Os visitantes poderão prestigiar a técnica line dance, com o conjunto Line Dance Aclimação, às 14h, e as Mães Violinistas e Coral das Mães, a partir das 15h. Os shows do grupo Hanulim, com foco para o samurnori, e do Instituto de Dança Tradicional Coreana acontecem às 16h. Sobem no palco, às 17h, o Kpop Dance Cover Team e La Music Studio, finalizando as atrações artísticas.
O evento oferecerá aos interessados uma aula de introdução à língua coreana, ministrada pelo Centro Educacional da Coreia, às 11h30, e um workshop de caligrafia, às 12h30, oferecido pela Associação de Caligrafia. A culinária, com João Son, e o artesanato, da Associação de Artesanato Coreano, serão os assuntos de oficinas marcadas, respectivamente, para às 14h30 e 16h30. Uma atividade prática terá como tema a percussão tradicional coreana, samurnori, a partir das 17h30.
Quem adora experimentar receitas de outros lugares do mundo e não perde a oportunidade de conhecer novas iguarias, o cardápio das barracas de gastronomia, preparado pela Associação Cultural dos Coreanos do Brasil, incluirá bulgogui, carne marinada grelhada em molho de soja, alho picado e semente de gergelim, servida com verduras; mandu; topokki; jeyukbokum; hottok, variedade de panqueca recheada de açúcar, sendo uma comida de rua popular do país; butchimgue e bebidas coreanas.
Complementando as ações do evento, o auditório receberá uma palestra com o diretor do Centro Educacional da Coreia, Jung Min Oh, às 13h30, e o antropólogo e pesquisador do Museu da Imigração, Thiago Haruo, abordará ?O que o K-pop tem? A popularização do gênero musical em São Paulo?, às 14h30. As pessoas presentes poderão, ainda, assistir à exibição de um filme, às 15h30, prestigiar a exposição de arte ?Pinheiro Vermelho? e garantir produtos típicos coreanos para levar para casa.

VIVA! Coreia
Data: 28 de julho (domingo)
Hora: 10h às 18h (bilheteria até as 17h)
Entrada: R$10 (http://www.ticketfacil.com.br/eventos/mi-viva-coreia.aspx)
Lote único de ingressos: 1.500 unidades | Em caso de lotação, a bilheteria será encerrada.
Local: Museu da Imigração

Museu da Imigração
Rua Visconde de Parnaíba, 1.316 ? Mooca ? São Paulo/SP
Tel.: (11) 2692-1866
Funcionamento: de terça a sábado, das 9h às 17h; e aos domingos, das 10h às 17h
R$10 e meia-entrada para estudantes e pessoas acima de 60 anos | Grátis aos sábados
Acessibilidade no local – Bicicletário na calçada da instituição
www.museudaimigracao.org.br

Joanna Flora

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Cultura

Três medidas provisórias perdem a validade Fonte: Agência Senado

Publicados

em

Perdem a validade nesta quarta-feira (2) três medidas provisórias, incluindo a que autorizou a aplicação, em 2021, dos recursos destinados ao setor da cultura por meio da Lei Aldir Blanc (MP 1.019/2020). A MP autorizou o pagamento do benefício com os recursos já aprovados em 2020 e destinados ao cumprimento da lei, mas que ainda não tenham sido utilizados.

A Lei Aldir Blanc, originada da MP 986/2020 e promulgada pelo Congresso em agosto de 2020, determinou o repasse de R$ 3 bilhões de recursos federais para ações emergenciais do setor cultural em estados e municípios. A aplicação dos recursos estava limitada aos valores liberados pelo governo federal. O auxílio financeiro foi chamado de Lei Aldir Blanc em homenagem ao escritor e compositor de 73 anos, que morreu de covid-19, em maio de 2020. O texto da lei estabeleceu o pagamento de três parcelas de um auxílio emergencial de R$ 600 mensais para os trabalhadores da área cultural, além de subsídio para manutenção de espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais.

Por decisão do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, com a prerrogativa de presidente do Congresso Nacional, no dia 8 de abril a validade da MP foi prorrogada por 60 dias, mas a norma perdeu a eficácia sem ter sido analisada pelos parlamentares. A prorrogação do auxílio emergencial para trabalhadores e empresas do setor cultural também foi tema do Projeto de Lei (PL) 795/2021. Doze dispositivos dessa proposta foram vetados pelo governo federal, mas todos os vetos foram derrubados nesta terça-feira, 1º de junho, pelo Congresso.

Pronampe

Também perdeu a validade, sem análise do Congresso, a MP 1.020/2020, que abriu crédito extraordinário de R$ 10,1 bilhões para viabilizar a integralização de cotas no Fundo Garantidor de Operações (FGO) para o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

De acordo com dados do governo, o Pronampe já disponibilizou R$ 32,9 bilhões de crédito para micros e pequenas empresas, por meio de mais de 450 mil contratos. A taxa de juros é a Selic, acrescida de 1,25% ao ano. Os recursos disponibilizados podem servir para pagar funcionários, contas de luz e água, aluguel, compra de matérias-primas e mercadorias, entre outros. Também podem ser direcionados a reformas e investimentos, como compra de máquinas e equipamentos.

Saúde do Rio de Janeiro

A terceira MP que tornou-se sem eficácia autorizou a prorrogação de até 1.419 contratos temporários firmados com médicos, enfermeiros e outros trabalhadores da saúde para atuação em hospitais federais do Rio de Janeiro (MP 1.022/2020).

Por meio de uma outra medida provisória editada em maio de 2020 e posteriormente convertida na Lei 14.072, de 2020, Jair Bolsonaro já havia autorizado a extensão do vínculo de 3.592 profissionais até o dia 31 de dezembro do ano passado. Com a virada do ano, estes contratos corriam risco de serem encerrados em meio à pandemia de covid-19. Mas com a nova medida provisória, até 1.419 deles puderam ser novamente renovados, respeitando o prazo máximo de 28 de fevereiro de 2021.

Fonte: Agência Senado

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

MAIS LIDAS DA SEMANA