Economia

FCO: Aprovados R$ 358 milhões para atividades empresariais e rurais em Goiás

Publicado

em

Recursos do FCO são utilizados para a aquisição de benefícios para o campo, como máquinas e implementos agrícolas

Pauta da 378ª Reunião do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE), realizada nesta terça-feira (21/06), na Fecomércio-GO, incluiu análise de cartas-consulta ao Fundo Constitucional do Centro-Oeste, aprovação de novas resoluções e revalidação de cartas já analisadas.

A 378ª reunião do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE) da Câmara Deliberativa do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) ocorreu nesta terça-feira (21/06), na sede da Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio-GO). Na ocasião, os membros do Conselho trataram de cartas-consultas para financiamento, aprovação de novas resoluções e revalidação de cartas já analisadas, além de apresentação de orientações para exercício de 2023 do FCO.

O volume total deliberado foi de R$ 358 milhões, sendo R$ 51,8 milhões para o setor empresarial, R$ 279,4 milhões para o rural e R$ 26,6 milhões provenientes de revalidações. O setor empresarial teve aprovadas 20 cartas-consultas, com estimativa de criação de 213 empregos diretos; já o setor rural, 190 cartas-consulta e 300 empregos diretos.

Titular da Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Serviços (Sic), Joel de Sant’Anna Braga Filho destaca o quantitativo de novos postos de trabalho pelos setores empresarial e rural no período. “A geração de emprego e renda, assim como a atração de novas empresas para o mercado goiano, são algumas das prioridades da gestão do governador Ronaldo Caiado. E nós tivemos um total significativo, além, claro, dos projetos aprovados”, comenta.

O total de projetos aprovados para os dois setores também é destacado pelo secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça. “Tivemos um número expressivo de projetos rurais aprovados, quase o dobro da média dos últimos meses. Isso é muito importante, porque representa uma injeção de recursos no setor agropecuário. Esses recursos serão aplicados na aquisição de novas máquinas, sistemas, matrizes e outros itens fundamentais para a modernização e o desenvolvimento do agronegócio goiano”, ressalta.

Como o Governo de Goiás prioriza o fomento de pequenos e médios empreendimentos, a maior parte dos financiamentos aprovados foi para pequenos e médio produtores. O Conselho também fez a apresentação, discussão e votação de atas, revalidações e alteração de cartas-consultas com a revalidação de propostas que somam pouco mais de R$ 26,6 milhões.

O secretário da Retomada e presidente do Conselho de Desenvolvimento do Estado de Goiás do FCO, César Moura, destaca a importância de promover desenvolvimento regional, emprego e renda via recursos do Fundo. “O governador Ronaldo Caiado sempre fala do esforço para devolver Goiás para os goianos. Como parte desse processo levamos opções acessíveis de crédito aos micro e pequenos empreendedores goianos, que são os maiores geradores de emprego no Estado”, declara César.

A reunião foi concluída com a apresentação da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e Diretoria de Governo do Banco do Brasil (Digov BB) a membros do Conselho de Desenvolvimento do Estado do FCO.

Fotos: Enio Tavares / Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Serviços | Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento | Secretaria de Estado da Retomada – Governo de Goiás

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Parcelamento do IPVA cresce 94% após ampliação do número de parcelas

Publicados

em

Opção por parcelamento do IPVA atraiu mais proprietários de veículos em Goiás, em 2022

Quantidade de veículos que tiveram imposto parcelado saltou de 151 mil para 293 mil, de 2021 para 2022. Além da permissão para parcelar IPVA em 10 vezes, Calendário 2022 jogou pagamento à vista para segundo semestre

Os dados do primeiro semestre deste ano mostram que a alteração no Calendário 2022 do IPVA, que ampliou de 3 para 10 o número de parcelas, quase dobrou a procura pelo parcelamento do imposto. O número de veículos que tiveram o IPVA parcelado saltou de 151 mil no ano passado para 293 mil nesse ano, um crescimento de 94% na adesão ao maior prazo.

Em valores, esse crescimento foi de 115% comparando janeiro a junho de 2021 com o mesmo período de 2022. No primeiro semestre do ano passado, foram realizados cerca de R$ 100 milhões em parcelamento, já neste ano os parcelamentos de janeiro a junho subiram para R$ 215 milhões.

Os dados são da Gerência de IPVA da Secretaria da Economia e mostram que quase o dobro de proprietários de veículos aderiu ao prazo maior para quitar o IPVA. O pagamento em parcela única também foi alterado, passando para o segundo semestre a partir de setembro. E a forma de adesão abriu várias possibilidades para que o contribuinte possa escolher o que é melhor segundo a situação de cada um.

Em 2022 o calendário não foi fechado para nenhuma placa. O motorista pode pagar as parcelas a qualquer momento, pois o governo não cobra taxa por atraso. Ele só não pode pagar depois do vencimento da data final, de setembro a dezembro. No primeiro semestre do ano passado, o prazo para pagamento do imposto já teria sido realizado para os motoristas com placas 1, 2, 3 e 4.

O boleto para pagamento do IPVA é emitido no site do Detran (www.detran.go.gov.br) e o parcelamento é feito eletronicamente.

Desconto no IPVA
O governo estadual manteve o desconto de 5% a 10% no IPVA para os cidadãos que participam do Programa Nota Fiscal Goiana (NFG). Este ano, mais de 441 mil proprietários de veículos terão desconto no imposto.

Já a isenção do IPVA ocorre para veículos com mais de 15 anos, para pessoas com deficiência, para ônibus ou micro-ônibus de passageiro de turismo ou escolar e veículo novo no ano da sua aquisição, comprado em concessionária goiana.

Alíquotas
As alíquotas do IPVA variam. São de 1,25%, para ônibus, micro-ônibus, caminhão, veículos aéreos e aquáticos utilizados no transporte coletivo de passageiros e de carga. De 3%: motocicleta, ciclomotor, triciclo, motoneta e automóvel de passeio com potência até 100 cv (cavalos); 3,45% para veículos utilitários e 3,75% para veículo terrestre de passeio, veículo aéreo e aquático.

Foto: Cristiano Borges / Secretaria da Economia – Governo de Goiás

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

MAIS LIDAS DA SEMANA