Educação

Rotina de estudos da Educação Infantil em casa requer atenção

Educação à distância para crianças precisa privilegiar o desenvolvimento intelectual, com estratégias simples, integração com os pais e atenção à saúde

Publicados

em


As crianças da Educação Infantil, de 1 a 5 anos, levaram a escola para dentro de casa em meio à suspensão de aulas por causa da pandemia do novo coronavírus. De acordo com Tatiana Santana, diretora pedagógica do Externato São José, as primeiras semanas de aulas à distância foram mais difíceis, até as crianças entenderem que não estavam de férias e precisavam se concentrar nos estudos. Ela aponta que é o momento de realinhar as expectativas de aprendizagem e privilegiar os itens fundamentais para o processo de aprendizagem das crianças: leitura, escrita e raciocínio lógico-matemático.

Mesmo para aquelas famílias que não têm acesso à tecnologia, a diretora ressalta que é essencial estimular o desenvolvimento intelectual com estratégias simples e ferramentas possíveis. ?Conseguir estabelecer para as crianças uma rotina de leitura e produção de escrita, onde eles possam, na brincadeira, desenvolver o raciocínio lógico-matemático, podem ser considerados grandes ganhos?, afirma Tatiana.

A diretora ressalta a importância de estabelecer uma rotina diária de encontros on-line entre a turma e o professor para manter o vínculo, respeitando o tempo da criança em frente à tela, que não deve ultrapassar 20 minutos entre intervalos. Criar um ambiente favorável, apoiar o acesso às plataformas e manter uma rotina estruturada também são estratégias que podem potencializar o aprendizado.

A orientação da escola para a Educação Infantil é garantir o contato com a professora em encontros on-line e disponibilizar um conjunto de atividades, brincadeiras, orientações em artes e atividades corporais para as crianças realizarem ao longo da semana. ?A nossa grande conquista é conseguir garantir um roteiro de trabalho junto das famílias que ajuda as crianças a manterem uma rotina que seja leve e saudável, e que contemple produção intelectual e saúde mental para poder passar por essa fase?, afirma Tatiana.

Passado o período de isolamento social, pós-pandemia, o Externato São José fará um diagnóstico do que foi assimilado e bem aprendido nessa modalidade, e, se necessário, retomará o conteúdo e a prática para preencher possíveis lacunas de aprendizagem. ?As turmas que estão em alfabetização são turmas que demandam uma mediação importante do professor, na aquisição do letramento, portanto precisaremos ter muita responsabilidade e diligência para aferir aquilo que conseguimos alcançar com a tecnologia?, enfatiza a diretora.

Atenção à saúde

Os pais e cuidadores exercem papel muito importante na adaptação da nova rotina. O médico pediatra do Grupo América, Ronaldo Moura, explica que as aulas online para crianças da educação infantil precisam ser supervisionadas. ?As crianças não têm o senso de responsabilidade para executar as tarefas e seguir as orientações da professora à distância, principalmente na primeira infância. Então é preciso que haja supervisão, inclusive ajuda na execução das tarefas. Existe sim um limite de exposição às telas como tablets e computador para as crianças, mas é importante ressaltar que é preciso que os pais tenham bom senso?.

Os estímulos são diferentes em cada fase da criança. Nos primeiros dois anos, a recomendação é evitar a exposição de telas por completo. Essa é a fase de maior oportunidade para estimular os ganhos no desenvolvimento. ?São principalmente estímulos motores, visuais, apresentando para a criança brinquedos de diferentes texturas, chocalhos de diferentes sons, música. Também existe o estimulo visual quando os pais podem incentivar colocando mobiles que emitem sons, por exemplo?. Para os pais que estão em isolamento social e estão com as crianças de 0 a 2 anos toda a parte do tempo, a recomendação é aproveitar o momento para desenvolver atividades em família.

O pediatra explica que cada idade tem um estímulo direcionado que pode ser utilizado pelos pais. ?Esses estímulos não dependem da escola, nem de uma terapia especializada, os pais possuem papel fundamental no desenvolvimento dos filhos em todas as fases. O Ministério da Saúde disponibiliza vídeos em seu canal oficial com o tema ” estimulação precoce” com conteúdo voltado para crianças com atraso no desenvolvimento, mas que servem para estimular todas as crianças, principalmente dos 0 aos 3 anos*.  Além disso, durante as consultas com o pediatra, é importante que os pais aproveitem para tirar todas dúvidas. Estamos vivendo uma situação diferente, mas que precisamos tentar manter a rotina ao máximo. Além disso, as famílias devem aproveitar esses momentos para fortalecer os laços, brincando juntos, desempenhando as atividades da vida diária em conjunto, compartilhando momentos e as rotinas, que ajuda a tornar o tempo de isolamento social mais agradável?.

*O endereço para acessar o conteúdo do Ministério da Saúde no Youtube é: https://www.youtube.com/watch? v=l_bJE9eladY

 

Lucas – Kasane

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Educação

Escola poderá ser obrigada a exibir contatos do conselho tutelar e notificar casos de violência

Publicados

em

Por

Projeto aprovado na Comissão de Educação obriga ainda as escolas a desenvolverem programas voltados à prevenção e combate à violência, ao abuso ou a exploração de estudantes

Projeto aprovado na Comissão de Educação obriga ainda as escolas a desenvolverem programas voltados à prevenção e combate à violência, ao abuso ou a exploração de estudantes

colegiado aprovou o texto apresentado pela relatora, deputado Professora Rosa Neide

A Comissão de Educação aprovou nesta quarta-feira (7) proposta que obriga estabelecimentos de ensino a afixarem em suas instalações, em local visível e de fácil acesso, o número de telefone e os endereços, eletrônico e físico, do conselho tutelar local. O texto, que tramita na Câmara dos Deputados, também exige a afixação, nas mesmas condições, de números telefônicos de serviços públicos de emergência e de utilidade pública.

A proposta aprovada é um substitutivo da relatora, deputada Professora Rosa Neide (PT-MT), aos projetos de lei 4628/19, do deputado Expedito Netto (PSD-RO), e 5397/19, que tramita apensado. Os projetos alteram a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

“É importante tornar mais explícita, na legislação educacional, a relevância do papel da escola na comunicação, ao conselho tutelar, de sinais de que seus alunos estejam sendo vítimas de violência, abuso e/ou exploração”, argumenta a relatora.

Além de incorporar ao projeto original (4628/19) a necessidade de as escolas afixarem os telefones de serviços de emergência e de utilidade pública, como pretende o PL 5397/19, a relatora também decidiu alterar a LDB para exigir que as escolas notifiquem ao conselho tutelar qualquer sinal de violência, abuso ou exploração praticados contra estudantes e ainda informe a relação de alunos com faltas acima de 30% do percentual permitido em lei.

“Queremos reforçar a responsabilidade da escola e seu relacionamento com o conselho tutelar”, disse a relatora.

O texto, por fim, obriga estabelecimentos de ensino a desenvolverem programas de formação continuada de profissionais voltados à prevenção e combate à violência, ao abuso ou a exploração de estudantes.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e será ainda analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

MAIS LIDAS DA SEMANA