Economia

Operadoras de turismo não atingem 25% da média de embarque neste ano

Publicado

em

Associação atribui baixo desempenho à pandemia de covid-19

Os efeitos da pandemia de covid-19 sobre as viagens no primeiro semestre de 2021 fizeram com que 75% das operadoras de turismo brasileiras realizassem menos de um quarto dos embarques do período pré-pandemia. O dado foi divulgado pela Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa) em seu boletim sobre o setor relativo ao mês de junho.

A pandemia de covid-19 teve seu período mais letal no Brasil no primeiro semestre deste ano, quando o número de vítimas da covid-19 saltou de 200 mil, em 7 de janeiro, para 518 mil, no fim de junho, cenário impulsionado pela disseminação da variante Gama no território nacional.

Os meses mais letais da pandemia foram março, abril e maio, e estados e municípios endureceram as medidas de restrição para tentar conter o avanço do vírus e reduzir o número de vítimas, informa o boletim divulgado ontem (20).

Apesar da crise sanitária e econômica, a associação avalia que o avanço da vacinação e as promoções anunciadas no período foram decisivos para a realização de vendas de viagens no período. A pesquisa mostra que, de janeiro a junho deste ano, 22% das operadoras tiveram faturamento maior ou igual ao período pré-pandemia.

Para o mês de junho, o estudo indica que 26% das operadoras não conseguiu realizar nenhum embarque, e apenas 25% atingiu ao menos a metade da média histórica de embarques para o mês.

A Braztoa informa que os destinos nacionais com maior procura são Porto de Galinhas, Gramado, Praia do Forte/ Salvador, Maceió, Porto Seguro e Rio de Janeiro.
Já no âmbito internacional, América Central e Caribe seguem no topo das vendas.

Segundo a associação de operadoras de turismo, roteiros de sol e praia, luxo e bem-estar estão entre os preferidos dos viajantes, que têm buscado “maior conexão com a natureza, comunidades locais e autoconhecimento”.

A expectativa de 30% das empresas do setor é que ao faturamento médio seja recuperado no primeiro semestre de 2022, enquanto 22% das operadoras estão mais otimistas e esperam voltar ao patamar pré-pandemia ainda no segundo semestre de 2021. Para 19%, a normalização do faturamento só deve ocorrer em 2023.

Edição: Maria Claudia

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Caldas Novas esteve entre os destinos mais procurados do Brasil no último feriado prolongado

Publicados

em

Sondagem da FBHA revela que o destino dividiu a preferência dos turistas por cidades litorâneas

Os feriados prolongados em 2021 foram se tornando oportunidades para viajar conforme a vacinação foi avançando em todo o país. No último feriadão com quatro dias de folga para comemorar o Dia de Nossa Senhora de Aparecida e o Dia das Crianças houveram destinos com 100% de ocupação e outros com 80% do que era permitido em decreto.

É o que revelou a sondagem da FBHA onde os destinos mais procurados foram Gramado, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Caldas Novas, Trancoso e Arraial do Cabo, o que deixa pistas para um cenário animador de recuperação no final do ano.

A cidade goiana reconhecida como a capital das águas termais que disputou a atenção dos turistas com destinos litorâneos consagrados tem visto o público crescendo a cada final de semana. A busca pelas atrações com águas termais e a céu aberto soma-se ao estilo de turismo familiar, com culinária farta e hotelaria que preza por instalações amplas e confortáveis. Segundo Aparecido Sparapani, superintendente do Grupo diRoma, que administra 13 opções de hospedagem na cidade, “comparando o feriado de junho [Corpus Christi] e o de 7 de setembro nós tivemos, em média, 26% a mais em ocupação e receita. Houveram unidades que ultrapassaram os 26 pontos percentuais, o Acqua Park diRoma teve um acréscimo de 22% de público”.

O executivo reconhece que grande parte dessa preferência é fruto da dedicação de toda a classe turística local que se manteve alinhada com as exigências sanitárias e proativa na criação de soluções que alimentaram a confiança dos clientes. “No Grupo diRoma criamos uma comissão para regular e implementar os novos protocolos sanitários, tivemos treinamentos para todos os colaboradores, engrossamos o couro para os pedidos pela imunização da população e, claro, adaptamos todo nosso atendimento para que os turistas que se hospedassem nos hotéis e frequentassem o parque não se sentissem desconfortáveis ou perdessem os referencias de um atendimento amistoso, típico na cidade”.

Com a vacinação em Caldas Novas avançando para o público jovem, tendo adolescentes de 13 a 17 anos recebendo a 1ª dose, a expectativa é que o final deste ano quando as férias fazem aumentar a demanda nos hotéis que estejam mais próximos a ocupação normal. “Desde o mês de maio que o turismo em Caldas Novas está em processo de crescimento, acreditamos que teremos a melhor ocupação dos últimos anos nesta próxima temporada, acreditamos inclusive numa excelente ocupação para as festas de Natal, período tradicionalmente com menor ocupação devido às festas em família”, pontua Sparapani.

Preparados para continuar atendendo a exigências sanitárias preventivas ao coronavírus o Grupo diRoma pretende servir as tradicionais ceias de Natal e Réveillon em três locais, concentrando os serviços em instalações mais amplos como o Centro de Eventos diRoma que tem capacidade para mil e quinhentas pessoas e absorverá as ceias dos empreendimentos do Thermas diRoma e Villas, enquanto os hóspedes do Internacional, Fiori, das cinco unidades do L’Acqua, império Romano e Piazza serão servidos no Restaurante Jardins diRoma, dentro do complexo L’Acqua diRoma. “Todos os protocolos exigidos pela Vigilância Sanitária, desde o início da pandemia, serão cumpridos, quer seja nas festas ou nos parques”.

A retomada parece animadora ainda com um feriado prolongado nacional antes dos festejos de final de ano, destinos como Caldas Novas devem permanecer entre as preferências dos turistas, uma vez que, os destinos nacionais seguem competitivos frente ao custo das viagens internacionais. Segundo pesquisa do Boston Consulting Group (BCG) o desejo de viajar dos brasileiros é latente e os destinos domésticos permanecem em alta, com adendo do crescente interesse pelos deslocamentos de carro. Os números revelam que 70% pretendem viajar na primeira oportunidade que tiverem, 26% dos turistas entrevistados afirmaram que querem viajar pelo Brasil, contra 19%, que preferem realizar uma viagem internacional.

Já 25% dos entrevistados planejam realizar a próxima viagem de carro e 45%, de avião. “Temos pela frente dois feriados: o de Finados, tradicionalmente com ocupação média de 80%, e o feriado da Proclamação da República, esse sim com ocupação total. Até o momento, continuamos com autorização de ocupar somente 75% dos leitos disponíveis, mas preparados para receber novos clientes caso haja mudança no decreto”.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

MAIS LIDAS DA SEMANA