Cultura

Para comemorar seus 23 anos, Grupo Solo estreia espetáculo de rua

?Nem a morte nos separa? é uma tragicomédia teatral dançante sobre a vida em sua finitude, alegrias e agruras

Publicados

em


Fotos: Layza Vasconcelos

 

Novo trabalho, que envolve dança e teatro, leva o tema da morte para o palco com leveza e criticidade. Espetáculo dirigido por Lázaro Tuim (Cia de Teatro Nu Escuro) percorrerá 6 espaços públicos de Goiânia.

Dança e teatro se encontram no novo espetáculo do grupo Solo de Dança. ?Nem a morte nos separa? tem estreia no sábado, 23/11, na Praça do Crimeia Leste, às 17h, e não tem cobrança de ingressos.

 

O novo trabalho do grupo leva o tema da morte ao palco de forma alegre, reflexiva e crítica. O espetáculo celebra os 23 de anos de estrada do grupo Solo e tem direção de Lázaro Tuim, da Cia de Teatro Nu Escuro. A peça ainda será repetida neste ano em mais cinco espaços públicos. As apresentações são todas gratuitas e o projeto tem apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. 

 

Quatro amigos se encontram em um velório diante de um caixão. Neste momento, traduzido como a única certeza que temos na vida, os quatro personagens revivem suas trajetórias, relembram do cotidiano exaustivo imposto pela rotina de suas vidas, rememoram as festas e os bailes que os enchiam de alegria e de paixões, para enfim, se despedirem uns dos outros.

 

A inspiração para este trabalho foram os cortejos fúnebres que acontecem em alguns países africanos, como Nigéria, e em cidades norte-americanas, como Nova Orleans. Neles o caixão desfila pelas ruas da cidade, embalados por música e danças. Nesta nova montagem, a sátira social vem por meio de passinhos, dancinhas e a dança contemporânea, unindo-se às danças de salão, danças populares de rua e interpretação teatral.

 

?Diante desse momento de despedida somos levados à melancolia e à tristeza, no entanto, como sendo nossa única certeza, por que não buscar dar à pessoa que parte uma despedida que se aproxima do que foi a pessoa em vida, alegre, divertida e dançante??, questiona o diretor Lázaro Tuim antecipando a abordagem de sua direção ao espetáculo. Tuim também indica a importância de levar este tema aos palcos: ?falar em morrer nunca esteve tão naturalizado?.

 

Dança-teatro

 

O encontro do grupo Solo com Tuim se repete depois de 10 anos, quando o ator dirigiu e coreografou, entre 2009 e 2010, o espetáculo “Hoje é Domingo” contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klaus Vianna. Lázaro Tuim é ator e um dos cofundadores da Nu Escuro, mas sua primeira experiência artística foi com a dança. Ele foi professor de dança de salão e participou de um grupo de dança contemporânea dirigido por Henrique Rodovalho entre 1991 e 1994. O grupo Solo, por sua vez, é formado por bailarinos que já tiveram experiências como atores e atrizes. ?Foi quase inevitável não propor um trabalho híbrido entre essas duas linguagens?, explica Tuim.

 

Os resultados apontam, assim, para a montagem de um espetáculo de dança-teatro ou vice-versa. ?Bailarinos-atores colocaram seus corpos e experiências em busca de estabelecer um jogo cênico que envolva a plateia, principalmente a plateia presente na rua?, explica Tuim, indicando a vontade do grupo de ocupar os espaços públicos com este trabalho.

 

Sinopse completa

 

Quatro amigos se encontram em um velório diante de um caixão. Neste irrefutável momento, que se configura como a única certeza que temos na vida, nossos quatro personagens, revivem suas trajetórias, relembram do cotidiano exaustivo imposto pela rotina de suas vidas, rememoram as festas e os bailes que os enchiam de alegria e de paixões, para enfim, se despedirem uns dos outros. No entanto, nem a morte os separam.

 

Uma vez realizado o velório, o caixão sai pela cidade, carregando consigo as histórias de nossos personagens, que representam cidadãos e cidadãs que sonham, de enamoram, pelejam, bailam, choram, sorriem e vivem em uma constante busca pela felicidade. Um espetáculo híbrido entre a dança e o teatro, que se apoia na trilha sonora para conduzir uma dramaturgia pensada para instigar a plateia a refletir e a participar.

 

 

FICHA TÉCNICA

 

Concepção do espetáculo: Lázaro Tuim e Michael Valim/  Direção Artística: Lazaro Tuim/ Coreografia: Lázaro Tuim e elenco/ Elenco: Ingrid Costa, Luciana Caetano, Milton Aires e Patrick Mendes/ Figurino: Patrick Mendes/Programação Visual: Bacae/ Sonoplastia: Rui Bordalo/ Fotografia: Layza Vasconcelos/ Registro audiovisual: Michael Valim/ Cenário: Marcos Lotufo e Izabela Nascente/Produção executiva: Jambo&Jambú

 

SERVIÇO: ESPETÁCULO: NEM A MORTE NOS SEPARA ? GRUPO SOLO DE DANÇA

Gênero: Dança contemporânea

Classificação: Livre

Duração: 50 minutos  

 

Todas as apresentações são gratuitas

 

NOVEMBRO

23/11 ? às 17h (sábado)

Local: Parça do Crimeia Leste, Goiânia ? GO

(Próximo à quadra de esportes)

 

26/11 ? às 20:00 (terça-feira)

Local: Escola Municipal Laurindo Sobreira Amaral – R. Valdir Azevedo – Jardim São José, Goiânia ? GO.

*Bate papo com estudantes 

 

27/11 ? às 18:30 (quarta-feira)

Local: Centro Cultural da UFG ? (Pátio) – Av. Universitária, 1533 – Setor Leste Universitário, Goiânia ? GO.

Programação FUGA ? UFG

 

DEZEMBRO

03/12 ? às 18:30 (terça-feira)

Local: IFG -Campus Aparecida de Goiânia – Av. Universitária, Quadra 1 – Parque Itatiaia, Aparecida de Goiânia ? GO.

Abertura da programação Dança À Mostra ? Licenciatura em Dança IFG

*Espetáculo com interpretação de LIBRAS

 

07/12 ? às 17:00 (sábado)

Local: Vila Cultural Cora Coralina (Praça) – R. 3, s/n – St. Central, Goiânia ? GO.  

*Espetáculo com interpretação de LIBRAS

 

11/12 ? às 18:00 (quarta-feira)

Local: Calçada do Grande Hotel ? Av. Goiás, esquina com Rua 3, Setor Central, Goiânia- GO.

 

Ana Paula Mota

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Cultura

Cultura em alta com a volta do Autocine em Campo Grande – MS

Retorno do Autocine tem todos as medidas de biossegurança asseguradas

Publicados

em

Por


Após 31 anos sem a sensação de assistir a um filme de dentro do próprio veículo, a Prefeitura de Campo por meio de sua Secretaria de Cultura e Turismo (Sectur), em parceria com a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e Universidade Federal de MS (UFMS), retomou com sucesso o Autocine Campo Grande na noite deste domingo (28).
Em tempos de pandemia, a retomada da nostálgica sessão de cinema foi a pensada para garantir uma oportunidade de entretenimento para as famílias campo-grandenses. Garantindo todas as medidas de biossegurança, como o distanciamento de dois metros entre os veículos, a lotação máxima dos carros e aferição, 70 veículos lotaram o espaço do Autocine, ao lado do
estádio Morenão.

Cerca de R$ 100 mil foram investidos pelas instituições para reativar o local que estava, antes,abandonado. A vegetação que ocupava o espaço foi cortada, o gramado foi replantado e o telão recebeu camadas de tinta branca para melhor reproduzir o filme, tudo com o apoio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep).

A população presente na sessão de estreia pode garantir o combo completo pro escurinho do cinema ficar perfeito comprando pipocas, refrigerantes, chips e até mesmo algodão doce das associações beneficentes presentes no local.
A próxima sessão acontece no primeiro domingo de julho (05) e para garantir ingressos é preciso ir até a Praça dos Imigrantes na quarta-feira (01) às 8h. Os ingressos são limitados e gratuitos.

 

Fred Pontes

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

MAIS LIDAS DA SEMANA