Educação

Prorrogadas inscrições para cursos on-line do programa Novos Caminhos

São 500 vagas para 11 cursos e os Interessados podem fazer a pré-inscrição até 14 de junho

Publicados

em


Foto: Ilustrativa

Estudantes a partir de 16 anos e comunidade em geral podem fazer a pré inscrição até dia 14 para cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) na modalidade Educação a Distância (EaD). São 500 vagas para formação em administrador de banco de dados, agente comunitário de saúde, balconista de farmácia, assistente administrativo, desenvolvedor de aplicativos para mídias digitais, desenvolvedor de jogos eletrônicos, higienista de serviços de saúde, Libras ? língua brasileira de sinais ? básico, programador de dispositivos móveis, programador de sistemas e programador web.

No total, são 11 cursos com carga horária variando entre 160 e 400 horas. Para realizar a pré-inscrição, basta preencher o formulário on-line.

No quadro abaixo, é possível conferir todos os cursos, local em que são oferecidos, pré-requisitos para ingresso, como escolaridade e idade mínima, número de vagas e carga horária. É importante conhecer o perfil do curso desejado antes de realizar a pré-inscrição.

Cadastro

Para o cadastro, é preciso ter em mãos todos os documentos pessoais, como RG, CPF, número do NIS e declaração escolar. A pré-inscrição não garante a vaga e passará por seleção prévia, de acordo com os critérios do programa e a legislação vigente. Serão aceitas o dobro de inscrições em relação ao número de vagas oferecido para realizar a seleção.

Os cursos serão totalmente on-line, pela plataforma Moodle, e oferecidos pelo Centro de Ensino Médio Integrado do Gama (CEMI-GAMA), pelo Centro de Educação Profissional Articulado do Guará (CEPAG-GUARÁ) e pelo Centro de Educação Profissional Escola Técnica de Brasília (CEP-ETB), em Taguatinga.

 

AGÊNCIA BRASÍLIA

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Educação

Escola poderá ser obrigada a exibir contatos do conselho tutelar e notificar casos de violência

Publicados

em

Por

Projeto aprovado na Comissão de Educação obriga ainda as escolas a desenvolverem programas voltados à prevenção e combate à violência, ao abuso ou a exploração de estudantes

Projeto aprovado na Comissão de Educação obriga ainda as escolas a desenvolverem programas voltados à prevenção e combate à violência, ao abuso ou a exploração de estudantes

colegiado aprovou o texto apresentado pela relatora, deputado Professora Rosa Neide

A Comissão de Educação aprovou nesta quarta-feira (7) proposta que obriga estabelecimentos de ensino a afixarem em suas instalações, em local visível e de fácil acesso, o número de telefone e os endereços, eletrônico e físico, do conselho tutelar local. O texto, que tramita na Câmara dos Deputados, também exige a afixação, nas mesmas condições, de números telefônicos de serviços públicos de emergência e de utilidade pública.

A proposta aprovada é um substitutivo da relatora, deputada Professora Rosa Neide (PT-MT), aos projetos de lei 4628/19, do deputado Expedito Netto (PSD-RO), e 5397/19, que tramita apensado. Os projetos alteram a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

“É importante tornar mais explícita, na legislação educacional, a relevância do papel da escola na comunicação, ao conselho tutelar, de sinais de que seus alunos estejam sendo vítimas de violência, abuso e/ou exploração”, argumenta a relatora.

Além de incorporar ao projeto original (4628/19) a necessidade de as escolas afixarem os telefones de serviços de emergência e de utilidade pública, como pretende o PL 5397/19, a relatora também decidiu alterar a LDB para exigir que as escolas notifiquem ao conselho tutelar qualquer sinal de violência, abuso ou exploração praticados contra estudantes e ainda informe a relação de alunos com faltas acima de 30% do percentual permitido em lei.

“Queremos reforçar a responsabilidade da escola e seu relacionamento com o conselho tutelar”, disse a relatora.

O texto, por fim, obriga estabelecimentos de ensino a desenvolverem programas de formação continuada de profissionais voltados à prevenção e combate à violência, ao abuso ou a exploração de estudantes.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e será ainda analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

MAIS LIDAS DA SEMANA