Agro

Em Brasília, Caiado busca apoio para projeto de fruticultura no Nordeste goiano

Publicado

em

Governador se reuniu com o ministro de Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Goés, para tratar o tema. Iniciativa abrange cultivo de cerca de 300 hectares com lavouras irrigadas de maracujá e manga e incentivo a dois mil pequenos produtores

O governador Ronaldo Caiado articulou em Brasília nesta quarta-feira (06/12) apoio ao projeto de Fruticultura Irrigada do Vão do Paranã, implantado pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás (Seapa). Em reunião com o ministro de Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, o chefe do Executivo estadual apresentou a iniciativa e destacou que a ação pode contribuir com mais de 2 mil pequenos agricultores assentados na região Nordeste de Goiás.

Na primeira etapa do projeto serão beneficiados agricultores familiares dos municípios de Flores de Goiás, São João D’Aliança e Formosa. Os produtores familiares já estão recebendo kits de irrigação e equipamentos adquiridos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), com investimento federal de R$ 9,8 milhões. A proposta é cultivar cerca de 300 hectares com lavouras irrigadas de maracujá e manga, com captação de água na barragem do Rio Paranã e Ribeirão Porteira.

Segundo Caiado, o ministro é um entusiasta da irrigação e o projeto na região depende principalmente desse suporte para que os assentados, todos de baixa renda, possam viabilizar a produção. “Com isso, vamos incluir mais de dois mil pequenos agricultores, que não têm como desenvolver a sua atividade.

Governador Ronaldo Caiado busca apoio para projeto de Fruticultura Irrigada do Vão do Paranã em reunião com ministro de Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, em Brasília

Governador Ronaldo Caiado busca apoio para projeto de Fruticultura Irrigada do Vão do Paranã em reunião com ministro de Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, em Brasília

Estamos fazendo nossa parte burocrática e o ministro, sensível, vai nos auxiliar junto ao presidente da República e ministro da Casa Civil para podermos dar um passo adiante e melhorar a qualidade dessa região do Nordeste goiano”, projetou o governador, que estava acompanhado dos secretários Pedro Leonardo Rezende, da Seapa, e César Moura, da Retomada.

Waldez Góes reconheceu que a ação do Governo de Goiás, no Nordeste do estado, vai ao encontro do trabalho do ministério, que é de incluir as pessoas no processo de desenvolvimento. Segundo o ministro, o projeto de fruticultura se encaixa em duas ações da pasta: Rotas da Integração, que diz respeito às cadeias produtivas locais, como é o caso em Flores; e de Irrigação. “Tem comunicação direta com diminuição de emissões, com combate à fome e geração de oportunidades. Então, faz parte da estratégia programática do ministério”, considerou.

Sudeco
Ainda em Brasília, o governador participou da 19° reunião ordinária do Conselho Deliberativo do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Condel/Sudeco), que define os recursos destinados para o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). Entre os pontos discutidos no evento estavam a programação para o exercício de 2024 e aprovação do calendário de reuniões do Comitê Regional das Instituições Financeiras Federais (CRIFF) para o exercício de 2024. Desde 2019, o FCO já liberou para Goiás R$ 16,9 bilhões, garantindo 708,8 mil empregos diretos. Do total, R$ 11,6 bilhões foram destinados ao setor rural, com 494,6 mil empregos diretos. Outros R$ 5,2 bilhões foram liberados para a área empresarial, garantindo 214.137 postos de trabalhos diretos.

Fotos: Hegon Correa / Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

COMENTE ABAIXO:

Andreazza Joseph é um dos muitos potiguares talentosos que estão espalhados pelo mundo, multifacetado, possuindo formação em Direito e Jornalismo, além de atuar como produtor audiovisual na AgênciAzzA. Com sua paixão pela cultura nordestina, ele se destaca como um cordelista e multi-instrumentista. Sua habilidade em diversas áreas o torna uma figura versátil e criativa, trazendo uma perspectiva única para cada matéria que escreve."

Propaganda

Agro

Agrodefesa orienta produtores sobre restrições do Ibama aos agrotóxicos à base de tiametoxam e fipronil

Publicados

em

Em Comunicados publicados no Diário Oficial da União (DOU), o governo federal limitou a aplicação desses defensivos, como forma de proteção a abelhas e insetos polinizadores

A Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), órgão do Governo de Goiás, orienta os produtores rurais às novas determinações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) acerca do uso de produtos agrotóxicos à base dos ingredientes ativos tiametoxam e fipronil. As medidas foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) restringindo as aplicações desses inseticidas, como forma de proteção às abelhas e a outros insetos polinizadores.

“É necessário que os produtores sigam as novas recomendações de rótulo e bula, conforme definição do Ibama, e descritas no receituário agronômico emitido pelo Responsável Técnico”, pontua o coordenador de Insumos Agrícolas da Gerência de Sanidade Vegetal da Agrodefesa, Márcio Antonio de Oliveira e Silva.

As restrições quanto ao uso dos agrotóxicos à base do tiametoxam foram publicadas no dia 22 de fevereiro de 2024. O Comunicado proíbe a aplicação do inseticida, utilizado em várias culturas agrícolas, por meio de pulverizações e diretamente nas folhas, sendo permitida apenas a aplicação no solo e no tratamento de sementes. Além disso, as medidas estabelecidas pela área técnica do órgão especificam os usos atualmente autorizados conforme culturas, condições e doses. O Ibama estabelece, ainda, que os fabricantes façam adequações nos rótulos e na bula dos produtos.

As medidas já estão em vigor desde a data de publicação, mas os produtores que haviam adquirido agrotóxicos contendo tiametoxam, antes da publicação do Comunicado, poderão utilizar esses produtos até o final do estoque, conforme as orientações autorizadas quando da aquisição, respeitando-se o receituário agronômico e o prazo de validade do produto. A íntegra do Comunicado pode ser conferido no link: https://www.in.gov.br/web/dou/-/comunicado-544287047

Já a suspensão, como medida cautelar, do uso de agrotóxicos à base de fipronil foi publicada no Diário Oficial da União de 29 de dezembro de 2023. Está proibida a pulverização foliar em área total, ou seja, não dirigida ao solo ou às plantas. Os fabricantes também devem se adequar quanto às orientações que descrevem a toxicidade do produto. A íntegra do documento está disponível no link: https://www.in.gov.br/web/dou/-/comunicado-n-17895409-gabin-de-21-de-dezembro-de-2023-534745031

“Entre as atribuições da Agência está coordenar, orientar e auditar a fiscalização do uso, do comércio, do armazenamento e do transporte interno de agrotóxicos, seus componentes e afins, bem como a destinação final das embalagens vazias”, ressalta a gerente de Sanidade Vegetal, Daniela Rézio.

O presidente da Agrodefesa, José Ricardo Caixeta Remos, destaca que ao longo dos 20 anos da Agrodefesa, seu corpo técnico sempre trabalhou para fazer o controle do uso correto e seguro desses defensivos, difundindo boas práticas, fiscalizando e orientando o produtor de acordo com a legislação vigente. “É papel da Agência também difundir ações que promovam o uso responsável, especialmente em relação aos insetos polinizadores, por isso além de mantermos uma coordenação de insumos agrícolas, temos também um programa estadual de sanidade das abelhas com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva apícola em Goiás. É preciso ter uma visão integrada para termos equilíbrio e uma produção cada vez mais sustentável”, finaliza.

Comunicação Setorial da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) – Governo de Goiás

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

CATEGORIAS

MAIS LIDAS DA SEMANA